O CHAMADO QUE A VIDA FAZ

Escrito por: Nelson Cardoso

Jesus foi o modelo perfeito para o homem na Terra, sendo, pelas suas palavras e ações, o guia seguro da humanidade. A doutrina que ensinou é a mais pura expressão das leis que regem o universo, que deu ao homem a oportunidade de se impulsionar no próprio progresso moral. Assim, a doutrina espírita também trouxe como o princípio primeiro, a prática da fraternidade sem preconceitos, a filosofia. Partindo do caminho puramente experimental, o Espiritismo utilizou a razão para unir essas novas descobertas ao consolo daqueles que procuram um sentido melhor para a vida. O véu do mistério e do dogmatismo paralisante precisou ceder lugar à lógica, sempre temida pelos divulgadores desses dogmas já ultrapassados.

Percebemos que a resistência de grande parte da humanidade, ao progresso moral, se deve à tendência de se buscar o caminho mais cômodo para ter a ilusão de desfrutar o melhor da vida atual. Esta tendência generalizada tornam as pessoas fáceis de serem moldadas por quem tem anseios de dominação. Tudo que essa massa de pessoas deseja, mesmo que inconscientemente, é ser conduzida por alguém, deixando suas vidas nas mãos de outros, como uma criança. Na massificação o indivíduo sente-se aliviado por se ver igual a todos ao seu redor, agindo da mesma maneira, e por isso não deseja fazer questionamentos, mesmo que algo fuja à sua compreensão, pois teme se afastar do grupo e sofrer a solidão do isolamento.

Essa atitude trouxe o atraso à humanidade que, no entanto, sempre teve ao seu dispor ensinamentos morais elevados, trazidos por espíritos missionários. O ser humano neste estágio de escolhas prefere fugir dos seus próprios compromissos evolutivos e acaba por revelar uma face, no mínimo, curiosa: usando aquela famosa frase, “faça o que digo, mas não faça o que faço”, ele consegue compreender o sentido verdadeiro desses ensinamentos que lhe foram revelados, mas reluta em praticá-los. Temos esses exemplos ocorrendo em várias épocas, sendo a falta de prática dos ensinamentos deixados por Jesus, o mais marcante exemplo desta face intrigante para os povos ocidentais.

Contudo, os inimigos da humanidade, poderosos dominadores de todos os tempos, o assassinaram, interrompendo de forma violenta, a missão de amor. Mas pela força de suas ações e palavras, sua mensagem essencial conseguiu sobreviver e, hoje, aqui estamos tentando conhecer um pouco mais a sua vida. Mas, por todo esse tempo, os inimigos não desistiram. Junto á propagação cada vez maior de seus atos e ensinamentos, construiu-se uma farsa para alimentar o egoísmo humano, pelo surgimento de novos mentores dessa criação perversa, vestidos como sendo seus seguidores. Assim criou-se a figura mitológica do Cristo da fé. Ergueram-se muros de ouro, impedindo ou distorcendo a mensagem fraterna de Jesus. A igreja elegeu seus comandantes como os representantes deste mito de nome Cristo, na Terra. Derramou o sangue de muita gente, perseguindo com a espada em forma de cruz, que dilacerava o corpo desses inocentes com a arma que representava o corpo do Cristo, ensanguentado e amarrado na cruz; impôs o medo e paralisou, por muito tempo, a humanidade ocidental e por invasões posteriores o restante do planeta.

As revelações de cunho moral sempre estiveram ao dispor do homem, que sempre as utilizou no contexto mais apropriado aos seus interesses, seja o interesse de dominador, ou de dominado. Veja Jesus: tudo o que ele disse foi por ele trazido dos livros sagrados que sempre acompanharam o povo hebreu. No Livro de Henoc, na bíblia hebráica entre outros, já traziam o conceito de amor ao próximo e o sentimento fraterno universal. No entanto, os detentores do poder falavam desses preceitos humanitários revelados por profetas e rabis, utilizando, na prática, o poder para dominar as massas, sem abrir mão dos seus próprios instintos primários. Jesus reacendeu esses ensinamentos, deu a ênfase que constatou necessária pela urgência que aquele tempo solicitava. Mais que um profeta apocalíptico e escatológico, que, segundo alguns estudiosos, via a justiça divina se aproximar rapidamente, ele percebeu a dor intensa daquele povo massacrado pelas injustiças praticadas tanto pelo dominador romano quanto eram administradas pelos próprios sacerdotes judeus que tinham motivos diversos. Neste ambiente, Jesus chamou todos ao arrependimento, à consciência do amor fraterno e da justiça verdadeira, que nos faz desejar para o irmão ao lado o que queremos para nós mesmos.

Mas as leis naturais, com suas características de imutabilidade e eternidade, estão presentes na Terra como em todo o universo. E mesmo sendo lento, pela ação dos malfeitores, a humanidade continua o caminho das revelações. e das perseguições, claro. Assim como a ciência pode ser usada para matar pessoas, destruir nações, a mensagem de Jesus foi distorcida e usada para fins idênticos.

O Espiritismo, mostrando ao mundo a realidade da intercomunicação entre os que até então eram ditos mortos e os vivos, esta revelação elevou o nível de compreensão da vida, fortalecendo o elo entre os seres humanos. Da mesma forma, como a mensagem de Jesus, hoje o Espiritismo também está sendo atacado, de forma mais ardilosa, por pessoas que se dizem espiritas, incutindo entre os incautos prosélitos a falsa moral personalista, contando com o apoio de espíritos afins, cuja vaidade levou-lhes à se crerem donos de verdades que só eles conhecem. Assim como a mensagem de Jesus sobreviveu à farra dos maldosos, o Espiritismo também há de sobreviver, revivendo a moral que em todas as épocas foi lembrada por profetas e até hoje é desenvolvida por filósofos, assim como acompanhando as descobertas realizadas por cientistas, pesquisadores e gênios da humanidade. Mas que não se espere por esse momento de braços cruzados. Mesmo que para isso devamos retornar às origens da doutrina espírita, com poucos, mas verdadeiros adeptos. O verdadeiro Jesus também está sendo conhecido de poucos séculos para cá, intensificado pelas pesquisas de homens sérios e descomprometidos dos interesses escusos, ajudados, ainda, pelas recentes descobertas de vasto material arqueológico.

Participe você também desta busca pela verdade: sendo Espírita, procure estudar e analisar os fatos atuais que estão ocorrendo no meio dito espírita em que você vive, comparando-os com os ensinos dos Espíritos pelas obras de Allan Kardec. Tente separar a filosofia da religião, sempre dogmática e estagnante. Se você pertence a qualquer religião, ou não, se é ateu ou agnóstico, leia, estude, aumente seus conhecimentos com o estudo dos grandes homens da humanidade; eles só chegaram neste estágio, pois, sendo como nós, um dia resolveram perguntar, questionar, sair do conformismo! Procure conquistar uma base sólida para o que você acredita ou não acredita. Tenha certeza de que ter fé não é acreditar no impossível. O impossível só existe enquanto não descobrimos que é possível! Assim a sua passagem por este mundo não será como estar sentado em uma roda gigante, que gira sem sair do lugar. Ouça o chamado que a vida faz.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.