ESPÍRITOS PSEUDO-SÁBIOS E ESPÍRITAS CRENTES: QUESTÃO DE FASCINAÇÃO COLETIVA?

NELSON CARDOSO

O ESPIRITISMO NO BRASIL ESTÁ IMPREGNADO DE DOGMAS E MITOS RELIGIOSOS. VOCÊ NÃO ACREDITA?

Permita-se usar a sua razão, princípio básico do Espiritismo, e vamos entender uma das consequências desse modelo místico de Espiritismo, hoje o modelo dominante em nosso país e já sendo exportado.

Os adeptos e simpatizantes espíritas aceitam, sem questionar, as afirmações publicadas nos livros, com nomes de médiuns e espíritos famosos, hoje circulando no meio espírita, e servindo para estudos doutrinários nas casas espíritas, superando os estudos profundos das obras básicas de Kardec. Os espíritos, que são idolatrados e citados amplamente em palestras e seminários, teriam retirado esse “conhecimento”, até então desconhecido pelo homem, incluindo os chamados ditos de Jesus, em forma de diálogos, de qual fonte? Que referências nos apresentaram nessas publicações? Vamos buscar informações a respeito desses ditos em um homem estudioso do assunto e respeitado internacionalmente no meio acadêmico chamado Geza Vermes:

Os ÁGRAPHA, ou ditos de Jesus encontrados nos escritos dos patriarcas da igreja, mas não registrados em parte alguma nos quatro Evangelhos, eu considero pouco confiáveis para serem levados em consideração numa busca pelos ensinamentos autênticos de Jesus. (VERMES, 2006).

Sendo assim, não conseguimos entender os ditos colocados nos livros, psicografados como sendo de Jesus, se não os encontramos em nenhum dos quatro Evangelhos.


Os espíritos sistemáticos e os pseudo-sábios, na referência de Kardec, encontrada na questão 104 de O Livro dos Espíritos, transmitem suas ideias pessoais através de médiuns famosos, e os seus livros não são lidos e vistos na comunidade espírita, como apenas opiniões pessoais – o que na realidade são – mas sim, como absolutas verdades, contrariando, desta forma, o CONTROLE UNIVERSAL DOS ENSINAMENTOS DOS ESPÍRITOS, utilizado pelo codificador.

Humberto de Campos, quando ainda recém desencarnado, tendo sido um escritor famoso em sua época, ditou um livro, “BOA NOVA”, psicografado por Chico Xavier, que no capítulo intitulado, “Na escola do evangelho“, diz: “Dos milhares de episódios desse folclore do Céu, consegui reunir trinta e trazer ao conheci mento do amigo generoso que me concede a atenção.” (Campos, 1941). A palavra FOLCLORE, segundo a Wikipedia, significa “um gênero da cultura de origem popular. (…) Esse tipo de cultura não é um conhecimento cristalizado, embora enraíze em tradições que podem ter grande antiguidade, mas transforma-se no contato entre culturas distintas, nas migrações e através dos meios de comunicação.”, ou seja, desprovido de confirmação histórica.


Mas os espíritas crentes, aqueles que deixaram a coragem, o devotamento e a abnegação para trás, evitando o estudo, a consciência moral e filosófica da doutrina, e que foram citados por Kardec no livro ” VIAGEM ESPÍRITA EM 1862″, pág.73, da Editora O Clarim, na sua 3ª edição, cresceram muito em número de adeptos no Brasil, aceitando esse e todos os outros folclores trazidos do mundo espiritual como verdadeiros! Portanto, como podemos concordar que são verídicos, os ditos de Jesus que aparecem nesses livros? Sim, nesses livros, pois são vários livros e autores que foram colher esses “ditos” de Jesus, no folclore espiritual, visto nenhum deles trazer qualquer referência confiável. Vamos aos principais livros que trazem ditos folclóricos de Jesus:


– “BOA NOVA”, DE HUMBERTO DE CAMPOS (Chico Xavier).
– “JESUS NO LAR”, DE NÉIO LUCIO (Chico Xavier).
– TODA A SÉRIE EVANGÉLICA DE AMÉLIA RODRIGUES (Divaldo Franco). – Livros psicografados, dos espíritos Ramatis, Miramez, e outros.


Consideramos também como folclore, histórias que envolvem Jesus, chamado de o governador do planeta e que estaria presente na criação do paneta Terra, há bilhões de anos, folclore retirado do livro “A Caminho da Luz” de Emmanuel, psicografia do Chico Xavier, que tem como subtítulo: História da civilização à luz do Espiritismo“. Onde ele encontrou a fonte para afirmar que seria à luz do Espiritismo? Nos demais livros, Emmanuel, não trouxe qualquer citação folclórica de Jesus, mas se arvorou tal qual conhecedor profundo de tudo que existe, respondendo a qualquer questão proposta a ele. Entre os assuntos que escreveu, está a sua opinião do que seria o Espiritismo, que tratou equivocadamente como religião cristã, até mesmo, por sua formação de sacerdote católico em várias encarnações, além de um fascínio explícito por Paulo, o apóstolo dos gentios. Portanto, Emmanuel, também está incluído entre os espíritos pseudo-sábios e sistemáticos à que se refere Kardec, na questão 104, de O Livro dos Espíritos.

Hoje, o cisma criado pelos próprios espíritas dirigentes, que penetrou como praga nas federações, nas sociedades e nos congressos, locais onde deveriam preservar as ideias e os princípios do Espiritismo, revelados pelos Espíritos através das obras de Allan Kardec, acaba envolvendo os adeptos ingênuos e que não buscam o estudo sério que seria uma espécie de vacina, evitando as práticas religiosas, feitas dentro do ambiente espírita. Neste ambiente, os neófitos são conduzidos a concluir que essa forma dogmática é verdadeiramente o Espiritismo, ou seja, multiplicando o número de pessoas que não conhecem o Espiritismo.

Existe, ainda, outra questão, que nos parece selar de vez a possibilidade de levar o debate de ideias a esses ambientes: os companheiros que conseguem enxergar o Espiritismo na sua essência moral e filosófica e que poderiam ajudar os novos adeptos nesta compreensão são afastados de todos os eventos que ocorrem nas casas, e nos congressos espíritas, proibidos de se expressarem. Entre esses companheiros fui incluído. Hoje, já não nos queimam nas fogueiras, nem nos matam em máquinas de tortura, sabem utilizar de maneira ardilosa, a discriminação e o preconceito. Quem tem medo de ideias, sabendo que são perigosas aos seus interesses, foge ao entendimento. Pena.

Homens e Espíritos que receberam a oportunidade de levar a mensagem dos espíritos superiores para o progresso do semelhante se desviaram pelo egoísmo e pela vaidade, assumindo, com isso, enormes consequências que lhes poderão fazer passar pela dor no tempo que se aproxima. E não poderão dizer que não sabiam. Estão todos conscientes, pois há muitos anos frequentam os meios espíritas, onde alguns são até idolatrados e conduzem as massas com as suas opiniões.

(*) Geza Vermes é considerado um dos maiores especialistas acadêmicos sobre Manuscritos do Mar Morto e história do cristianismo, leciona estudos judaicos e é membro da European Academy of Arts, Sciences and Humanities.

Bibliografia: O Autêntico Evangelho de Jesus – Geza Vermes.

O Livro dos Espíritos – Allan Kardec.

Viagem Espírita em 1862 – Allan Kardec.

Boa Nova – Humberto de Campos, psicografado por Chico Xavier.

A Caminho da Luz – Emmanuel, psicografado por Chico Xavier.

Jesus no Lar – Neio Lúcio, psicografia de Chico Xavier.


Um comentário em “ESPÍRITOS PSEUDO-SÁBIOS E ESPÍRITAS CRENTES: QUESTÃO DE FASCINAÇÃO COLETIVA?

  1. Felicito o amigo pela lucidez e determinação. Não espere resposta porque Espiritismo é um estranho para leigos que equivocadamente se afirmam espíritas. Sendo assim, terão que fingir que pessoas que pensam e que as chamam à razão, não existem para elas.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.