As Casas Espiritas brasileiras negam a Doutrina Espírita?

Nelson Cardoso

As casas espíritas foram transformadas em casas espiritualistas, ecumênicas, onde se praticam vários rituais e tratamentos da medicina alternativa, oriundas de seitas. Fechadas, não aceitam questionamentos.

A grande quantidade de casas espíritas, espalhadas pelo Brasil, crescendo à cada dia, pode levar à uma impressão de que a Doutrina dos Espíritos está produzindo frutos incontáveis e que as previsões de crescimento mais otimistas de Allan Kardec esperavam.

Entretanto este crescimento está revelando um fato inversamente assustador: As casas espíritas se distanciaram por completo da Doutrina Espírita. Alimentadas por uma literatura pós-Kardequiana, dentro da qual Espíritos, médiuns e palestrantes se destacam com um discurso fanático e religioso, acabaram por trazer práticas dogmáticas e teorias místicas que são a base milenar do Cristianismo, enquanto que a Filosofia moral e a ciência são toda a base do Espiritismo,.A respeito da legitimidade da Doutrina, posicionou-se Kardec, na obra Viagem Espírita em 1862, pouco conhecida por alguns: “Onde quer que minhas obras penetraram e serve de guia, o Espiritismo é visto sob seu verdadeiro aspecto, isto é, sob um caráter exclusivamente moral“. (1862, p. 46).

VOCÊ JÁ PAROU PARA PENSAR O QUE CONQUISTOU DEPOIS DE TANTOS ANOS REPETINDO AS MESMAS ?

No capítulo 10 desta obra, Kardec esclarece sobre a formação de grupos espiritas complementando, também, orientações dadas em “O Livro dos Médiuns”, capítulo 29, a respeito da formação desses grupos “A primeira condição é sem dúvida, constituir um núcleo de pessoas sérias, por mais restrito que seja o seu número”. (…) “Em seguida devem os membros fundadores estabelecer um regulamento que se tornará em lei para os novos aderentes.” (…) “Eis a razão da severidade imposta aos novos elementos a serem admitidos. Não creiais que essa severidade possa ser nociva à propagação do Espiritismo. Bem ao contrário! As reuniões sérias são as que fazem mais prosélitos”. (…) “Quanto à difusão doutrinária ela se processa bem menos em razão da admissão de assistentes – que por via de regra, uma sessão ou duas não podem convencer – do que pelo estudo preliminar e pela conduta dos membros fora da reunião.” (KARDEC 1862, capítulo.10). Hoje, qualquer pessoa é admitida como membro da Casa, e para isso só precisa se inscrever ou nem tanto. A quantidade de pessoas é um de seus valores. Quanto maior a Casa, mais ela torna-se importante. Como nas Igrejas, que estão sempre lotadas.

FALA, KARDEC!

Nos grupos de estudo, ” Toda a atenção se volta para a leitura e explicação do “O Livro dos Espíritos” e de artigos da “Revista Espírita“. Para essa atividade não se tem necessidade de ser orador ou professor, trata-se de uma leitura, como em família, seguida de explicações despretensiosas do ponto de vista da eloquência, mas que esteja ao alcance de toda a gente”. (…)Não deve causar estranheza ou incompreensão que eu indique essas obras como básicas para o estudo, uma vez que são as únicas em que a ciência espírita se encontra analisada em todas as suas partes e de maneira metódica.” ( (KARDEC 1862, p.109 – Destaque nosso). Ele não recusa o estudo de outras obras dizendo que “é preciso examinar-se tudo, mesmo aquilo que é mau.” (KARDEC 1862, p.109). Atualmente se estuda de tudo nas Casas, as obras básicas são trocadas por apostilas editadas por federações (apostilas de ESDE, EADE, etc…), e com condução pessoal de seus orientadores. As opiniões pessoais dos Espíritos são estudadas como reveladores de novas verdades, sem comprovação e em diversas áreas de pseudoconhecimentos: Criação do Planeta Terra pelo governador Cristo e a sua administração sideral, Narrativas Evangélicas desprovidas de fonte, Psicologia e Medicina. As casas fazem seminários usando livros polêmicos, substituindo as obras básicas do Espiritismo.

SOBRE O USO DE PRÁTICAS EXTERIORES DE CULTOS NOS GRUPOS

Kardec foi indagado frequentes vezes se é útil começar as sessões com preces e atos exteriores de culto religioso. Ele esclarece que a resposta não é só dele, mas também dos Espíritos que trataram deste assunto: “É, sem dúvida, não apenas útil, porém necessário rogar, através de uma invocação especial, por uma espécie de prece, o concurso dos bons Espíritos. Essa prática predispõe ao recolhimento, condição especial a toda reunião séria.“(KARDEC 1862, p.110). Porém nos adverte claramente que “O mesmo não se dá quanto às práticas exteriores de culto, através dos quais certos grupos creem dever abrir suas sessões.” (…)” …é preciso não esquecer que o Espiritismo se dirige a todos os cultos”. (KARDEC 1862, p.110). Lembra o inconveniente de fazer preces em coro, (como o Pai Nosso, a Ave Maria, a Prece da Cáritas), ou seja, cultos de religiões.

A casa espírita não deve ser um templo ou uma igreja! Recebendo qualquer adepto, tem uma proposta universal para todos os inconformados e os que buscam respostas às questões da vida. Não pode pertencer à nenhuma seita!

BIBLIOGRAFIA: Viagem Espírita em 1862, Allan Kardec – Casa Editora O Clarim, 3ª edição, 2000.

ESDE e EADE significam: Estudo Sistemático da Doutrina Espírita e Estudos Avançados da Doutrina Espírita. São diversas apostilas produzidas pela FEB (Federação Espírita Brasileira).

Um comentário em “As Casas Espiritas brasileiras negam a Doutrina Espírita?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.