CULTO DO EVANGELHO NO LAR


 

Nelson Cardoso

Ao lembrar que o Espiritismo não é uma religião no sentido comum da palavra, permite-se que se entendam os princípios da Doutrina no sentido universal, podendo assim, chegar às pessoas como um consolador e revelador de conhecimentos, não interferindo em suas próprias religiões e seus cultos. Os princípios que norteiam o Espiritismo se baseiam nas Leis da Natureza, leis eternas e imutáveis, presentes em todo o universo. Portanto esses princípios serão sempre atuais, mesmo à medida que essas leis sejam descobertas pela ciência.

Kardec, buscando no conceito humanitário do Espiritismo como uma filosofia de alcance moral, admite o culto do Evangelho no Lar. Deixa claro que a sua aplicação é para aqueles que haviam solicitado a ele a sugestão de um procedimento para a realização das preces nos seus cotidianos em horas definidas, hábitos trazidos de suas religiões:”(…) quisemos evitar que nossa obra tivesse um caráter litúrgico, razão por que nos limitamos às que têm relação mais direta com o Espiritismo, de modo que cada um poderá encontrar as outras entre as de seu culto particular” (KARDEC, 1864, p.314). Ele fala no mesmo texto, sobre a necessidade de preces inteligíveis “Aquele que ora sem compreender o que diz, habitua-se a ligar mais valor às palavras do que aos pensamentos; para ele as palavras é que são eficazes, mesmo que o coração em nada tome parte.” (REFERÊNCIAS).

O PAI NOSSO OU PRECE DOMINICAL

“O mais perfeito modelo de concisão em matéria de prece é, indubitavelmente, uma verdadeira obra prima de sublimidade na sua simplicidade;” (KARDEC ANO, p.316). Kardec alerta para a forma como essa prece costuma ser feita, por causa da sua brevidade “Eis por que geralmente a dizem sem digerir o pensamento sobre as aplicações de cada uma de suas partes.”(KARDEC ANO, P.316). Ele nos diz ainda que as preces espíritas do capítulo XXVIII de O Evangelho Segundo o Espiritismo (ESE) não devem ser consideradas “como um formulário absoluto, mas como uma variedade entre as instruções que dão os Espíritos.” Coletânea de Preces Espíritas – Preâmbulo

 Kardec: motivos específicos para o culto

Dirigindo-se “Aos que nos pedem uma linha de conduta a seguir” (KARDEC, ANO, p.318) sugere que se façam as preces em particular ou em um lugar comum, incluindo nelas, algumas passagens do ESE e de “algumas boas instruções, ditadas pelos Espíritos.” (KARDEC, ANO, p.318). Deixa claro, que a necessidade deste culto é específica para pessoas afastadas da sua igreja por causa do Espiritismo. “Isto se dirige mais especialmente às pessoas repelidas pela Igreja por causa do Espiritismo, as quais se sentem, por isto mesmo, mais necessitadas de se unirem a Deus pelo pensamento. Mas, salvo este caso, nada impede que os crentes, nos dias consagrados às cerimônias de seu culto, ali digam algumas das preces relacionadas com as crenças espíritas, ao mesmo tempo em que profere as suas.” (KARDEC, ANO, p.318).

No Brasil, talvez pela grande massa de crentes oriundos do catolicismo, que assumiu postos de direção nas casas espíritas, o culto do evangelho no lar passou a ser uma regra para ser seguida por todo o adepto espírita. Inverteu-se a lógica universalista de Kardec, e de uma doutrina que acolhe e respeita os crentes das mais diversas religiões, introduziu-se a obrigatoriedade deste culto dentro da Doutrina. E como todas as regras das liturgias, criaram um manual para a prática deste culto no lar: 1- Dia, hora e minutos pré-fixados; 2- Leitura do texto e das preces em voz alta, mesmo se estando sozinho; 3 – Recipiente e copos colocados com água para fluidificar e tomar após a prece final; 4 – Oração obrigatória no início e no fim do ritual; 5 – Ler um trecho do livro “O Evangelho Segundo o Espiritismo” – seguido de um pequeno comentário prático; 6 – As crianças devem estar presentes; 7 – Se houver visita no domicílio, deve-se convida-la a participar, pois é proibido mudar o horário combinado com os Espíritos (eles não podem esperar, são muito ocupados); 8 – Se a família não estiver presente no lar no dia e hora combinados, pode fazer onde estiver:  trabalho ou viagem.

Essas são, em geral, as normas estabelecidas e divulgadas pelas casas espíritas. Existe em algumas delas, uma equipe especializada, preparada para dar início ao culto nas residências. É divulgado que a proteção espiritual do lar depende deste ritual. Cada casa praticante tem, no lado espiritual, uma espécie de placa bem visível, avisando que ali se pratica o culto do evangelho no lar. Não sei se é para atrair os bons ou para repelir os maus Espíritos que por acaso estejam passando próximos ao lugar; tipo um espantalho no milharal. Não quero, com a minha ironia, dirigida exclusivamente aos Espíritas que deveriam saber que o Espiritismo não promove qualquer tipo de ritual ou culto, atingir pessoas em suas religiões, citadas por Kardec e acolhidas pelo Espiritismo.

SUBSTITUINDO O CULTO NO LAR, PELO ESTUDO FAMILIAR DA DOUTRINA ESPÍRITA

Entretanto, existe um sentido fraterno e de interação social neste culto, que pode e deve ser preservado, sem as características litúrgicas: uma reunião sem os rigores constantes no manual de instruções citado mas sendo em um dia da semana, com adeptos interessados em conhecer e/ou melhorar o seu conhecimento sobre o Espiritismo. Este encontro de estudo, com certeza trará ganhos, morais e de convívio, que a Doutrina pode oferecer, para o congraçamento no ambiente familiar.

Voltaremos ao assunto. Dê a sua sugestão!

PODE-SE COMEÇAR PELO LIVRO “O QUE É O ESPIRITISMO” 
(ALLAN KARDEC). A ORAÇÃO NO INÍCIO DA REUNIÃO É IMPORTANTE QUANDO DIRIGIDA AOS BONS ESPÍRITOS QUE CERTAMENTE ESTARÃO ACOMPANHANDO O ESTUDO. ELES TAMBÉM ESTARÃO PRESENTES PARA APRENDER!

Bibliografia: O Evangelho Segundo o Espiritismo, edição IDE, 365ª EDIÇÃO. A. Kardec

Revista Espírita de 1864. Allan Kardec

2 comentários em “CULTO DO EVANGELHO NO LAR

  1. Já estava imaginando os espíritos com a agenda aberta marcando os culto do lar que eles tinha q está presente, imagina o malabarismo que eles não fazem para está em 10 lugares ao mesmo tempo, quando na verdade só precisamos estudar e sintoniza com uma prece para bons espíritos!! As pessoas ainda estão presas nos pecados que elas acham que estão cometendo!!!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Sim. Trazemos de antigas experiências a necessidade de fazer rituais para recebermos a “proteção espiritual”, como uma troca. É sempre dirigida à nomes famosos como Jesus, Maria, Bezerra. Ou à todos ao mesmo tempo para cercar. O Espírita que estuda sabe que a oração pode ser dirigida aos bons Espíritos, é o suficiente.
      Quanto à dita proteção do lar, está relacionada às nossas ações no dia-a-dia. O ESTUDO FRATERNO EM FAMÍLIA, além de trazer ganhos de conhecimento da Doutrina, é um momento de reunião familiar. As regras devem ser simples, não havendo necessidade de rigidez de horário.
      Houve uma mistura indevida com rituais litúrgicos. Aliás como está impregnado nas Casas Espíritas. Desde dirigentes à coordenadores e palestrantes.

      CHEGOU A HORA DE SENTARMOS NO BANCO ESCOLAR E ESTUDAR OS PRINCÍPIOS BÁSICOS DA DOUTRINA ESPÍRITA.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.