VOCÊ CONHECE O ESPIRITISMO?

Nelson Cardoso

Para rejeitar ou aceitar um pensamento ou uma proposta, precisamos conhecê-los. Assim nos diz o bom senso. A crítica feita sem esse princípio é de aparência. Feita por ignorância ou deliberadamente. No primeiro caso, é por leviandade, no segundo é por má fé.

A crítica não precisa necessariamente aprovar as ideias. Mas necessita de base. Falar sobre o que não se conhece, levará a proposta apresentada para uma visão distorcida dela. É como dizer em um quadro, cujo artista pintou um cavalo preto, que o cavalo é branco! Podemos não gostar do cavalo, mas mudar a sua essência é um absurdo.

Kardec visualizou essas formas de críticas ao Espiritismo, que em sua época, vinham dos antipatizantes.

Hoje deparamos com uma situação diferente, também prevista, quando ele falou dos cismas que surgiriam no Espiritismo. Entendamos cismas, hoje, sendo as novidades que surgiram, mesmo que sejam compartilhadas por uma maioria mal informada.

Para sobreviverem, essas novidades foram transformadas em dogmas, que existem para serem seguidos e jamais questionados!

COMO RECONHECER AS IDEIAS PRÓPRIAS, QUE NÃO CONSTAM DA UNIVERSALIDADE DOS ENSINOS?

A falta do estudo sério de suas obras e consequentemente dos objetivos, levou ao surgimento de novidades, incorporando dogmas e misticismos da religião dominante, o cristianismo. Essas novidades encontraram aceitação fácil, por um público que pouco teve a oportunidade do estudo e da análise. Foram conduzidos por líderes desinformados ou até mal intencionados. Fugindo à luz da razão, as novidades que surgiram no Brasil, no final do século XIX e continuando pelo século seguinte, representaram ideias próprias, longe dos critérios propostos na codificação e na universalidade do ensino. Apresentadas por Espíritos de Sistema, ou seja, Espíritos comprometidos basicamente com as experiências vividas em suas últimas encarnações e se acham detentores da verdade. Esses Espíritos são citados no Livro dos Médiuns, questões 264 e 265. (1)

Escrevo sobre esse e outros assuntos, porque me afligem profundamente. São os caminhos fáceis, que foram aceitos na coletividade espírita do Brasil. Como me incomodava, passei à fazer questionamentos, principalmente nos últimos anos de minhas atividades nas casas espíritas. Questões essas, claro, ficaram sem respostas. Ou melhor, às vezes com respostas frágeis. Acabei percebendo um temor de companheiros, para questionar os métodos sistemáticos e os rituais religiosos, cotidianamente utilizados nesses centros espíritas.

Havia um medo hierárquico, próprio de igrejas. O medo, possivelmente, da pessoa ser rejeitada pela comunidade do seu centro. Havia também uma fascinação coletiva, explica por Kardec.

Os tais métodos, aos quais me referi acima, eram endossados em palestras e nos seminários que eu assistia. Não foi difícil perceber a superficialidade dos temas expostos e a falta de conhecimento do Espiritismo, demonstrado pelos palestrantes, oradores, coordenadores, facilitadores e diretores das casas espíritas. Não somente nas que frequentei. Mas também nas que eu acompanhava pela internet. Digo acompanhava, pois não consigo acompanhar mais! A maioria desses eventos eram repetecos de livros psicografados por Espíritos sistemáticos: inteligentes e envolventes, cujas ideias são estranhas à doutrina. Eram ladainhas demais! Não surpreende que provocassem sono em tanta gente! Alguns entendidos afirmavam que eram os espíritos sintonizados com elas, erradamente chamados de obsessores, que os induziam. Sinceramente, em algumas palestras acho que esses ditos obsessores eram os primeiros à dormir!

A RECONSTRUÇÃO DO ESPIRITISMO NO BRASIL

O compromisso que tenho com os meus leitores, é de despertar o desejo sincero de conhecer e estudar as revelações que nos trouxeram os Espíritos Superiores, que foram apresentadas nas obras de Allan Kardec e que hoje, infelizmente, a maioria absoluta dos espíritas brasileiros desconhece.

Tais revelações nos chamam ao despertar de consciência, dentro da sociedade.

“O Espiritismo dá aos homens tudo o que é preciso para a sua felicidade aqui na Terra, porque lhes ensina a se contentarem com o que têm. Que os Espíritas sejam, pois, os primeiros a aproveitar os benefícios que ele traz, e que inaugurem entre si o reino de harmonia, que resplandecerá nas gerações futuras.” (2)

Por isso o nome deste blog é:

O RENASCIMENTO ESPÍRITA. (ESPIRITISMO SEM DOGMAS).

(1) Os Espíritos de Sistema foram o tema de meu último artigo, aqui no blog.

(2) Revista Espírita, dezembro de 1868, Ed. FEB, pag. 495.

2 comentários em “VOCÊ CONHECE O ESPIRITISMO?

  1. Fico com pena da grande oportunidade que todos estão perdendo , de conhecer um espiritismo puro na sua essência, mais cada um tem seu tempo, só seu que o meu chegou e estou me sentindo muito bem com o espiritismo do jeito que sempre imaginei!!!! Essa do obsessores dorme primeiro foi ótima!!!!

    Curtir

    1. Sim, lubastos. A proposta de Kardec solicita ao espírita, a busca por novos conhecimentos. Quando o caminho escolhido é a fácil devoção, termina o interesse pelo estudo. As novas pesquisas ou tudo que contrariam os dogmas criados, provoca a ira e o desprezo do crente iludido. Deixa de ser um adepto espírita para ser um fascinado idolatrador. Substituíram a ciência pelas opiniões pessoais de nomes famosos. Este é o caminho que seguem os frequentadores das casas espíritas no Brasil. Cada vez mais distantes da doutrina espírita.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.