O MÉDIUM E A MÍSTICA

Nelson Cardoso

Há milênios, os povos conhecem esse fenômeno natural que denominamos mediunidade. Por ser uma aptidão, não se apresenta em todos os indivíduos, e por ser um meio de comunicação com os Espíritos, é gerador de desejos e mistificações.

Como a religião sempre foi a principal fonte da imaginação para o inexplicável , a mediunidade, sob diversas denominações, foi o seu instrumento mais eficaz e poderoso para o domínio das massas.

A pessoa reconhecida como médium, pitonisa, sacerdote, adivinho, e outros sinônimos, sempre teve um papel relevante nas civilizações, pela capacidade da previsão de acontecimentos, tão ansiosamente desejada por todos.

Bem, agora veja bem, leitor: Como é fácil uma pessoa dotada deste instrumento, que não depende de sua vocação moral (questão 226 de O Livro dos Médiuns), exercer influência sobre grupos e povos!

O espiritismo vem esclarecer de forma lúcida, a relação deste fenômeno com a pessoa que o possui.

De início, pela liberdade dos Espíritos em expressar qualquer pensamento que deseje por intermédio do médium, este precisa estar bem capacitado para fazer a transmissão com menos interferência sua. Sendo um bom médium, permitirá a fluidez da comunicação. Simples, não?

PARECE LÓGICO, MAS NÃO É BEM ASSIM QUE ACONTECE!

Por quê? Pelo padrão de repetição da história tão comum na humanidade! As pessoas sempre mistificaram a figura do adivinho, do conhecedor do futuro, como um ser escolhido por um dom divino! Pode desenvolver um sentimento de poder no médium.

Kardec nos diz, “seria pois, erradamente , que se assemelharia a mediunidade à um talento. O talento se adquire pelo trabalho e aquele que o possui dele é sempre senhor, o médium não é jamais senhor de sua faculdade, uma vez que depende de uma vontade estranha.”(1)

Você verificou por que a pessoa pode perder essa característica temporariamente ou em definitivo? “Isso pode acontece com frequência, qualquer que seja o gênero da faculdade”. Resposta dos Espíritos à questão 220 de O Livro dos Médiuns. E veja, eles não distinguem um médium de carreira e famoso, de um médium iniciante ou pouco conhecido.

Neste artigo não quero entrar no mérito dos motivos que levam a pessoa á perder a mediunidade. Fica para outra oportunidade.

Mas desejo concluir com você, que em qualquer circunstância ou em qualquer tempo, podemos não ter mais o médium recebendo comunicações dos Espíritos. E que neste caso, ele poderá decidir se utiliza essa interrupção para uma reflexão, ou prossegue mistificando um espírito, por seu orgulho ou vaidade.

CARAMBA! MAS COMO PODEMOS SABER SE É UMA MISTIFICAÇÃO??

  • Primeiro: aceite a possibilidade que isto pode ocorrer com qualquer médium! Eu disse: QUALQUER! Seja ele um desconhecido ou um famoso e idolatrado.
  • Segundo: parta da certeza que não é impossível saber! Como não?
  • Terceiro: talvez não tenha uma prova testemunhal, que acredito, só seria possível se o próprio médium mistificador confessasse. Mas existem evidências.
  • Quarto: saiba que existem pesquisadores trabalhando na verificação e comparando livros psicografados em várias épocas e por diversos médiuns. Claro, parte-se sempre de um ponto inicial que suscitou a dúvida da autoria, mas a pesquisa precisa encontrar evidências para poder ser divulgada, não acha?

Dentro destes quatro critérios, devemos estar atentos:

  • Não aceitando o que é publicado como uma nova revelação divina, mas analisando e, como dizia a minha mãe, vamos ficar com um olho na missa e outro no padre. Ou melhor, um olho no médium e outro na obra!

Porém existe um outro olhar importantíssimo: temos que estar atentos ao conteúdo da obra do autor, MESMO SENDO ELE UM ESPÍRITO e não o próprio médium!!

O Livro dos Médiuns

Sobre a liberdade de se expressar o pensamento dos Espíritos, Kardec nos alerta: “Cumpre não esqueçamos que, entre os Espíritos, há, como entre os homens, falsos sábios e semi-sábios, orgulhosos, presunçosos e sistemáticos. Como só aos Espíritos perfeitos é dado conhecerem tudo, para os outros há, do mesmo modo que para nós, mistérios que eles explicam à sua maneira, segundo suas ideias, e a cujo respeito podem formar opiniões mais ou menos exatas, que se empenham, levados pelo amor-próprio, por que prevaleçam e que gostam de reproduzir em suas comunicações.” Questão 299 de O Livro dos Médiuns,…

…Mas isso é papo para o próximo artigo!

(1) – O que é o Espiritismo- Allan Kardec – Capítulo II item 59, Dos Médiuns.


	

2 comentários em “O MÉDIUM E A MÍSTICA

  1. Muito bom….por isso que sempre estou prestando atenção.no que leio , não acredito em tudo, somos seres humanos e errantes. Outras manias que os médiuns tem é criar uma mensagem para dar indireta para algum companheiro, isso é muito comum nas reuniões mediúnicas, tornando assim a dificuldade de acreditar quando for verdade!!!! Vamos estudar mais é o melhor a fazer!!!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.